terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Vontade de um escritor

Queria ser um escritor
Com ou sem dor
Queria apenas poder
Em minha cadeira sentar
Na escrivaninha escrever
E em meus sentimentos divagar
Sem me preocupar
Com o futuro, passado ou presente

Sou um escritor mudo
Minha voz não tenho coragem para usar
Deposito em minha mão a coragem para iludir
Meu coração já desiludido

O tempo que um dia me restar
É o que usarei para em palavras retratar
O que na verdade quero
Simplesmente poder
Divagar nos sentimentos
De um verdadeiro escritor

3 comentários:

Anônimo disse...

Eu adoro suas poesias... me identifico muito com elas.
Um forte abraço
Eros

Pensador Mudo disse...

Caro Eros,

Obrigado pelo comentário, fico feliz que goste do que escrevo.
Acredito ainda estar aprendendo, e é sempre bom saber que estou conseguindo “atingir” de forma positiva alguém.
Procurarei postar mais textos este ano.
Obrigado novamente.

Anônimo disse...

Oba... Fui o primeiro a comentar no ano de 2010...heheheh
Quero lê muitas poesias ao decorrer desse ano.....
Abraços pra tu
Eros

Postar um comentário